domingo, 20 de novembro de 2011

Dor a prazo

É de saudade que morre um coração. E essa distância já acabou com a gente.
Quando sequer houve um nós...
Já me perdi na distância do seu olhar. No sol na minha sacada.
Quantas pessoas no mundo cruzariam fronteiras por um capricho?
É de saudade que morre um coração. Dessa dor de ausência.
Minha falta de ar é o seu silêncio.
Por obséquio, seja sincero de uma vez e detone todas as minhas expectativas.
Não sei conviver com dor a prazo.

Um comentário:

aline. disse...

Nossa ... lembrei de mim e do meu coração sofrendo a prazo no passado.